GUSTAVO JOBIM – Meio-Dia (2017)

GUSTAVO JOBIM
Meio-Dia
Tags: Eletrônico, experimental, kraut-rock
sw0194 – 2017 – Sinewave

FAIXAS
01. Meio-Dia
02. Pirâmide
03. Eterno Retorno

OUÇA NO SPOTIFY

OUÇA NO BANDCAMP

RELEASE – MÚSICO GUSTAVO JOBIM ANUNCIA NOVO ÁLBUM
Músico lança décimo-nono álbum de carreira, dando continuidade às explorações sonoras influenciadas por kraut-rock e música eletrônica experimental

Gustavo Jobim mora no Rio de Janeiro, mas seu universo é na Alemanha dos anos 70. Inspirado diretamente pela cena experimental alemã de bandas como Kraftwerk, Neu!, Faust, Tangerine Dream – a cena popularmente conhecida como kraut-rock -, Gustavo já acumula grandes feitos na sua carreira de dezessete anos: integrou o combo experimental carioca Zumbi do Mato, gravou uma colaboração com Conrad Schnitzler (Cluster, Tangerine Dream), tocou ao vivo com Damo Suzuki (Can) e com o Faust, e já lançou nada menos do que dezoito trabalhos de estúdio – este Meio-Dia é seu décimo-nono, o quinto pela Sinewave.

E é em Meio-Dia que Gustavo linka a sua cidade natal com as referências de experimentalismo alemão. “Neste ano comecei a ouvir João Gilberto”, ele conta, “e as batidas do percussionista Milton Banana deram a sugestão, o ponto de partida, para a sonoridade da faixa título”. E completa – “As influências desse álbum no geral são as mesmas de sempre” – leia-se Cluster, Tangerine Dream, Popol Vuh, Kraftwerk dos primeiros álbuns, música concreta e minimalista.

Mas Rio de Janeiro e Berlim são pouco para a música de Gustavo Jobim – o espaço é o limite. Com o uso de sintetizadores analógicos e plugins digitais, Gustavo faz uma obra densa, climática e abstrata, com timbres que nos remetem diretamente a trilhas sonoras de documentários de ficção científica dos anos 70. “Meio-Dia” e “Pirâmide” arriscam ritmos levemente acelerados, sugerindo uma espécie de missão intergaláctica, só de ida – feche os olhos e imagine cenas envelhecidas e descoloridas de naves espaciais viajando pelo espaço. “Eterno Retorno”, a faixa de encerramento, aumenta a sensação de vazio e desolação, sugerindo uma descida sem volta a um planeta sem nome. Fosse o independente brasileiro justo, Gustavo teria uma prolífica carreira como arranjador de trilhas sonoras.

“Chama-se Meio-Dia porque é uma culminação de meio de carreira”, Gustavo explica. Assim como o componente imagético da sua música, Gustavo Jobim ainda vai longe.

OUÇA TAMBÉM:
Dezoito (2016)
Luna (2014, com Gabriel Kalb)
Arrival (2014, com Visszajáró)
Retrospect 2013 (2014)

PÁGINA DO GUSTAVO JOBIM NA SINEWAVE
http://sinewave.com.br/artistas/gustavo-jobim/

Next Post

Previous Post

© 2017 Sinewave

Theme by Anders Norén