Facebook Twitter YouTube E-mail RSS

A Espiral de Bukowski – Peirce Stroke Misnomer Double Turnstile Tycho (2015)

Published on April 27, 2015 in Albums
A ESPIRAL DE BUKOWSKI
Peirce Stroke Misnomer Double Turnstile Tycho
Genre: Electronic, Experimental, Field Recordings
2015 – Sinewave

Download (78 MB)

Listen “Freedom and separation degrees in leptoquarks of 54 milky ways – pt 3″:

Audio clip: Adobe Flash Player (version 9 or above) is required to play this audio clip. Download the latest version here. You also need to have JavaScript enabled in your browser.

Tracks

01. Love waves nuts and bolts – pt 1
02. Love waves nuts and bolts – pt 2
03. Love waves nuts and bolts – pt 3
04. Freedom and separation degrees in leptoquarks of 54 milky ways – pt 1
05. Freedom and separation degrees in leptoquarks of 54 milky ways – pt 2
06. Freedom and separation degrees in leptoquarks of 54 milky ways – pt 3
07. Lie group action on nature and nurture – pt 1
08. Lie group action on nature and nurture – pt 2

Release

A Espiral de Bukowski is a Brazilian duo making what we call “on-the-spot-music” (or something like experimental-drone-noise-psychedelic-kraut-dub-electronic improvisation-driven music); a project conceived during the last days of 2011 and born during the first days of 2012, by Cesar Zanin and Mariana Cetra.

The first incarnation of the project was all acoustic (ac guitar, ukulele, accordion, tambourine, melodica, flute, small percussion). The EP Temas entre Ilhabela e Sao Tomé das Letras – 12/2011, was recorded on the first day of 2012 in a hostel room.

Then AEdB became more and more experimental. Now the duo uses accordion, melodica, small percussion, live programming, effects, frequency and tone manipulation, sampling, loops, full of effects keyboard, all with sweet melodies buried under. There are no rehearsals. Gigs and recording sessions always bring new pieces of music.

In 2013 they released a handmade-cover 7″ vinyl record (split with the band Glassbox), while toured South America, playing 11 shows in about 3 weeks through Chile, Uruguay and Southern Brazil – all DIY. The material from the recording session for the vinyl became the mini-album Primeira Sessão no Walden 2013-01-22. There were also two albums in collaboration, with Al Jamal (from Los Angeles, USA) and with A Full Cosmic Sound (from Santiago, Chile). The first full album was released late in 2013 and is called Estranheza, Encanto e Outras Partículas Elementares do Éter que o Vácuo Peidou.

In the first semester of 2014 there were two releases: A split album between AEdB and A Full Cosmic Sound, to be released by O Bosque/Woodland recordings, on limited edition cassette (produced in England). And the second full album, called B1620-25i. Cones e glóbulos galeiformes de frequência e períodos logarítmicos is released in the second semester of 2014.

In 2015 there’s a bunch of new releases, among which their first physical album: AEdB.

A Espiral de Bukowski has had albums released by labels from Brazil, Chile and Norway; and has already participated in at least six compilations (released by labels, blogs and magazines) from Brazil, USA and Portugal.

Cesar and Mariana improvise freely on the session of Peirce stroke misnomer double turnstile Tycho, exploring the sounds of a Casiotone keyboard contaminated by guitar pedals (Big Muff, reverb, delay etc), the melodica and accordion being processed and sampled at the same time they are played, minimal beats (sometimes in distinct measures), analog synthesis, modulation with square, triangular and saw tooth waves, granular synthesis, use of ribbon keyboard for bass lines, feedback, low-frequency oscillation, white noise, emulation of phase-locked loop and a little box that makes noises by photocells. The loops are built in conjunction with filters and effects, often in cascade. The album also features field recordings from different places (made with an iPhone). The album features Joel Whitworth playing the clarinet and tenor recorder.

Liner Notes

Recorded from the stage by Cesar using a portastudio Zoom R16 during the I Sinewave Facebook group party at Casa do Mancha (São Paulo, Brazil) on the 21st February 2015.

Featuring Joel Whitworth playing the clarinet and tenor recorder.

Cover: Green-Tao Theorem with Endre Szemeredi, by Oliver Sin (110X160cm, acrylics and oil pastels on canvas, 2012).
Photographs of the presentation by Andreza Francisco.
Artwork by Cesar.

O Bosque / Woodland recordings 2015
woodland.blogspot.com

About the Artist

Cesar Zanin – synthesizers, effects processor, sampler, sequencer, loop station, field recordings;
Mariana Cetra – Casiotone keyboard with guitar effect pedals, accordion, melodica, castanets, voice.

— Bandcamp: ob-w.bandcamp.com/
— Facebook: facebook.com/aespiraldebukowski

 
 Share on Facebook Share on Twitter Share on Reddit Share on LinkedIn

HEROD – Disruption (2015)

Published on April 17, 2015 in Albums
HEROD
Disruption
Genre: Sludge, Noise-Rock
2015 – Sinewave

Download (22 MB)

Listen “Disruption”:

Audio clip: Adobe Flash Player (version 9 or above) is required to play this audio clip. Download the latest version here. You also need to have JavaScript enabled in your browser.

Tracks

01. Disruption
02. Rupture

Release

Ruptura. Se é pra fazer diferente, vamos fazer diferente.

Oito horas para captar, mixar e masterizar um novo single, produzir uma capa desenhada pela própria banda, captar e editar um vídeo, tudo para lançar no mesmo dia. O desafio foi auto-imposto pela própria banda. Depois de ter desistido da ideia diversas vezes, decidimos encarar. E finalmente depois de quase 14 horas de trabalho ininterrupto, o EP estava no ar.

Disruption é o primeiro single da Herod depois do último trabalho de estúdio, o Umbra (2013). O single nasceu com o convite do projeto Converse Rubber Tracks, que convida bandas iniciantes para um dia de sessão no Family Mob, um dos melhores estúdios de São Paulo. É também a primeira gravação da nova formação da Herod, que conta com um novo baterista (Raphael Castro substituindo Márcio Dutkiewcz) e um terceiro guitarrista (Daniel Ribeiro), ambos egressos da banda-irmã Hoping To Collide With. Sacha Ferreira e Lucas Lippaus nas guitarras e Elson Barbosa no baixo completam o agora quinteto.

A capa foi desenhada à mão pelo guitarrista Sacha, no próprio estúdio, durante as primeiras horas da sessão. A arte-final coube ao designer Fábio Liu. O vídeo foi produzido por Evandro Olivier, também captado e editado durante o dia de gravação.

Músicas por Sacha Ferreira, Lucas Lippaus, Daniel Ribeiro, Elson Barbosa, Raphael Castro.

Engenharia de som, mixagem e masterização por André KBelo e Jean Dollabella no Estúdio Family Mob, em São Paulo.

Arte por Sacha Ferreira, arte-final por Fábio Liu.

Vídeo por Evandro Olivier.

HEROD é:
– Sacha Ferreira: guitarras
– Lucas Lippaus: guitarras
– Daniel Ribeiro: guitarras
– Elson Barbosa: baixo
– Raphael Castro: bateria

Daniel Ribeiro usa amplificadores Laney.

Agradecimentos a Estevam Romera, André KBelo, Jean Dollabella, Evandro Olivier, Fábio Liu, Converse, Estúdio Family Mob, Laney, todos os amigos e familiares que apoiaram online durante o dia de gravação.

Esse é um lançamento Sinewave.

Herod, 17 de abril de 2015.

About the Artist

— Bandcamp: herodlayne.bandcamp.com/
— Facebook: facebook.com/herodlayne

 
Tags:
 Share on Facebook Share on Twitter Share on Reddit Share on LinkedIn

KOVTUN – Androginóforo (2015)

Published on February 10, 2015 in Albums
KOVTUN
Androginóforo
Genre: Noise, Dark Ambient
2015 – Sinewave

Download (213 MB)

Listen “Noctuidae Latus (feat. Cadu Tenório)”:

Audio clip: Adobe Flash Player (version 9 or above) is required to play this audio clip. Download the latest version here. You also need to have JavaScript enabled in your browser.

Tracks

01. Andróforo Ginóforo (feat. Gustavo Jobim)
02. Noctuidae Latus (feat. Cadu Tenório)
03. Rhoeo Coleus (feat. Cássio Figueiredo)
04. Diabrotica Agrotis (feat. Übermensch)
05. Balaenoptera Physalus (feat. Amnese)
06. Tricomas Avicenia (feat. Iactalea)
07. Conoderus Planatus [Asterion] (feat. Angustia)
08. Estaminódio Isostêmone (feat. Godpussy)
09. Sinântera Sicônio (feat. Nihilistgod)
10. Helianthus Hybridum (feat. Arsenic Milkshake)
11. Ócrea Dística (feat. Dosanjos)
12. Musídio Coleóptilo [h404] (feat. Genocídio Póstumo)
13. Metribuzin Ametryn (feat. Theoria)
14. Epitrix Phyrdenus (feat. Umbilichaos)

Release

O conceito de “androginóforo” é o não conceito, se é que isso é possível. A ideia é você criar uma história em sua mente, através dos títulos, da arte da capa ou mesmo criar um nada, apenas desfrutar da variedade quase infinita de sons insanos, você pode ter em mente que ele é duplo se preferir, a partir da música oito ele transforma-se em um segundo disco. A nossa intenção é tirar você deste mundo, apenas isto.

Kovtun surgiu como um projeto experimental e basicamente instrumental. O nome foi inspirado em um vizinho de minha avó, Sr. Braz, descendente de russos que adorava contar histórias de assombração pra então criança que eu era nos anos 80. Em seu início a proposta era mais soturna e dentro de uma proposta específica, trazer a reflexão através do som. Lançar um álbum com a pretensão de entender o suicídio – The Complete Soundtrack of Suicide de 2013 – e suas várias facetas, com uma forte influência dark ambient, ao mesmo tempo em que limitava – pois uma interpretação torta poderia simplesmente classificá-lo como uma obra de apologia, quando a intenção era completamente o contrário disso, mas talvez o carimbo de projeto “satânico” prenderia a um rótulo absurdo – também libertava, pois fugia totalmente do que o Rádio Morto (meu antigo projeto) indicava – a reflexão muito mais pelas palavras do que pelo som. Com o segundo álbum Sleepwalking Land de 2014 a parte soturna foi “enfraquecendo” e consequentemente houve ao mesmo tempo mais adeptos e a perda de outros, cheguei a receber um e-mail criticando que tinha perdido minha inventividade negativa e caído numa vibe “doce e pueril”, é o risco que se corre. Dessa vez tentei esgotar minha criatividade em 14 músicas feitas no curso aproximadamente de oito meses, todas em parcerias e é aí que está todo o diferencial de Androginóforo. No início fiz muitas bases que não achava interessante para serem lançadas, achei que soaria mais do mesmo queria mudar este panorama. Tive a ideia de fazer um álbum em parceria, comecei do zero e a entrar em contato com os amigos músicos, conforme eles aceitavam, eu enviava uma base que achava que combinaria com aquele amigo e assim nasceram as 14 músicas, cada uma com uma “cara” diferente. Estou muito satisfeito com o resultado final de Androginóforo, um disco com diferentes gêneros, que vai da calmaria ao peso extremo.

Um disco que poderia ser duplo, mas como a princípio será lançado apenas no formato digital não vi necessidade e a ideia é que ouçam sem interrupções. As 14 canções ouvidas de uma vez só é o melhor a ser feito, daí surgiu à ideia de fazer um DVD extra, com um vídeo editado para cada música, ao final juntando todas temos um filme musical.

Mesmo que Androginóforo não tenha a visibilidade que merece, mesmo que poucos ouçam, o importante é que mais de 14 cabeças fizeram parte do processo dele e ele é histórico e fascinante pra todos nós, independente de qualquer coisa. O que importa no final do processo é que eu não gerei esta obra solo, tem uma base minha sim, uma ideia em cada música, mas a complexidade dada a cada uma é o que faz o diferencial do álbum e isso só foi possível por causa dos amigos.

Enfim, Androginóforo é um disco que vai entrar pra nossa história de vida, dos 14 e mais do Fernando (in memória). Ao ouvir o álbum no final sinto que todo trabalho investido valeu a pena, mesmo passando um momento bem complicado em minha vida pessoal durante a produção, valeu muito a pena!

Obrigado a todos os amigos que contribuíram!

Raphael Mandra

About the Artist

— Bandcamp: kovtun.bandcamp.com/
— Facebook: facebook.com/brazkovtun

 
Tags:
 Share on Facebook Share on Twitter Share on Reddit Share on LinkedIn